Gerenciamento de Enxoval Passo a Passo

Tenha acesso à palestra online com Case completo e detalhado da experiência que originou essa publicação aqui.

Estamos a poucas horas da nossa visita de auditoria nos setores de responsabilidade da Hotelaria e um dos trabalhos que arduamente viemos desenvolvendo ao longo desses quase 2 anos, foi a reestruturação dos processos de rouparia e gerenciamento de enxoval.

Cada pessoa reage à espera de uma maneira. Pode ser engraçado ou esquisito, mas minha reação em momentos tensos é escrever. Assim parece que organizo melhor minhas ideias, meu raciocínio e consigo me concentrar em outra coisa além da importância do evento que se aproxima.

Portanto, como um super aquecimento prévio para o maior momento da verdade antes presenciado… com vocês… (suspense….)

Gerenciamento de Enxoval Passo a Passo!

Maior Desafio: atingir e manter a quantidade ideal de enxoval para atender às necessidades da assistência.

Primeiro Passo:

Descobrir:

1. Qual é a quantidade ideal? *(quantidade de leitos x quantidade de trocas) resultado x 4 (ou 5)

2. Qual é a quantidade real?* último inventário

3. Qual é a diferença:

(entre quantidade ideal e quantidade real) = resultado +

(quantidade de baixas) +

(a quantidade da evasão) = QUANTIDADE NECESSÁRIA PARA REPOSIÇÃO.

Somente para essa primeira parte você precisará levantar: # um controle detalhado das baixas (ou seja, peças que são tiradas de circulação tanto para reaproveitamento quanto para descarte), # de inventário e # de consumo de enxoval.*

*nem sempre você terá um número homogênio de trocas. Então, procure descobrir quantas peças você precisa para abastecer o hospital durante 24 horas.

ClubeVIP_HeaderConseguiu descobrir e adequar a quantidade ideal? Ótimo, então vamos para o segundo passo:

Otimizar recursos, Identificando as Causas de Evasão e as Causas das Baixas, ou melhor, as Causas de Desgaste de Enxoval.

Para as causas de evasão, você terá que investigar mesmo:

Procure alinhar um processo e controle de retirada e devolução de enxoval com as equipes de remoção e transporte de pacientes – principalmente se essas forem terceirizadas; procure avaliar os índices de relave da lavanderia (os níveis aceitáveis estão entre 8 e 12%, dependendo do perfil e especialidade do hospital). Caso os índices de relave* estejam superiores à 12%, procurar saber o motivo (pois peças estão indo e não estão retornando). Procure também ter camareiras (ou funcionárias) diretamente nas alas, que sejam responsáveis pelo controle absoluto da distribuição das peças nos quartos. Não esqueça de seguir o fluxo de óbito: pode ser que as peças estejam indo muito mais longe do que a nossa imaginação possa alcançar… (tudo bem, não foi engraçado).

Para as causas de desgaste, acrescente 4 ou 5 colunas no seu controle de baixas: furos/manchas/ rasgos/ desgaste/ dano químico. Ao final do mês, avalie o total de cada causa, qual tem maior incidência e como pode ser corrigida (continue lendo para umas ideias) e então você terá uma Metodologia de Controle de Desgaste de Enxoval.

Tenha acesso à palestra online com Case completo e detalhado da experiência que originou essa publicação aqui.

Para ter uma análise ainda mais criteriosa sobre o desgaste, avalie a vida útil / durabilidade das peças. No mesmo controle de baixas, anote a data que essa peça foi colocada em uso. O que?! Você não anotou o mês e o ano na etiqueta? Então é hora de começar a anotar…

De cada mês, veja qual foi a peça que durou mais, a que durou menos e também calcule uma média entre todas (ou entre aquelas que apresentam uma variação comum). Depois, tire a durabilidade média do ano. Esse será seu índice de desgaste. *Esse indicador facilita muito seu planejamento orçamentário, além do planejamento de reposição.

Avalie também o uso desnecessário e o uso errado, ou seja, aquele cobertor que é utilizado como coxim, aquele lençol que vira tapete ou a toalha que é utilizada para conter um vazamento. Proponha e implante alternativas adequadas para essas finalidades, peças reaproveitadas para contensão de vazamentos seria uma delas. Em resumo, todo uso desnecessário implica diretamente no desgaste das peças, pois significa aumento na quantidade de lavagens. Reveja também seu mapeamento de distribuição de roupas: peças à disposição além da quantidade necessária implicam diretamente em desperdício, já que… “tá sobrando mesmo!”.

Realizar treinamentos de conscientização com a enfermagem mostrando peças danificadas pelo mau uso, manchas de arraste, fotos de como não utilizar (…) bem como o impacto financeiro dessa perda, traz resultados excelentes.

Distribuir corretamente o peso sujo nos centros de custos de origem também é uma forma de engajar todos quanto ao desperdício no uso.

Terceiro Passo: Avalie os Resultados:

Após a implantação das melhorias atuando nas causas de desgaste, avalie os resultados pelo índice de quilo paciente / dia* porque o consumo por paciente pode ter tido uma redução significativa, mas com o aumento da taxa de ocupação dificilmente teremos um dado fidedigno para mensurar essa redução.

Avalie o comportamento das baixas também. Elas devem diminuir, ou então, a qualidade das peças precisa aumentar…

Qual foi o impacto financeiro da redução de uso de enxoval? E com a redução de baixas? E com a redução da taxa de evasão? Quanto você deixou de gastar? Divulgue, isso aumentará o comprometimento das pessoas.

Quarto passo: Comprometa e Envolva as Pessoas.

Continue com o trabalho de conscientização, divulgando os resultados obtidos.

Mostre o comportamento de consumo das áreas, forçando uma competição saudável pela redução no uso.

Quinto Passo:

Avalie seu fornecedor (caso a lavanderia seja terceirizada). Qual é a pontualidade da entrega, os funcionários estão devidamente uniformizados, portanto crachá e EPIs? Quantas peças com avarias (manchas, furos, rasgos ou sem condições de uso) são encaminhadas no meio da roupa pronta para uso? Como é o atendimento, a correção dos pontos observados? Havendo possibilidade, liste esses indicadores em um SLA delimitando as margens aceitáveis e avalie mensalmente.

INDICADORES CITADOS:

*Índice de Relave = peso sujo total /dividido/ pelo peso limpo total

*Índice de Evasão= último inventário – menos – [inventário atual – menos (total de baixas do período + reposições ou  compras)] = resultado dividido pela diferença de meses entre um inventário e outro.

*Índice de Desgaste= durabilidade das peças.

*Quilo Paciente / Dia= total de quilo de roupa suja / total de pacientes (esse indicador fica melhor quando avaliado por área.

Referências:

Não realizamos esse post (baseado no nosso trabalho) com base em nenhuma referência bibliográfica, mas sim com base nos ensinamentos e orientações de profissionais referência da área, grandes amigos e professores.

Segue portanto nosso reconhecimento e agradecimento ao:

Márcio Granato, Diretor Operacional da MaxLav Services e

Ana Paula Araújo, Coordenadora de Governança do Hospital Insraelita Albert Einstein e nossa querida professora de Gerenciamento de Enxoval no curso de Pós Graduação em Hotelaria Hospitalar da mesma instituição.

Tenha acesso à palestra online com Case completo e detalhado da experiência que originou essa publicação aqui.

AnaAugustaHotelariaHospitalarAna Augusta Blumer Salotti

Idealizadora, criadora e principal colunista do site HotelariaHospitalar.Com.

Especialista em reestruturação da área de hotelaria nos hospitais com foco em certificação de qualidade e humanização, sendo palestrante em eventos nacionais e internacionais.

Sócia fundadora da empresa Hotelaria Hospitalar Comunicação e Treinamentos, possui MBA em Gestão em Saúde, Pós Graduação em Hotelaria Hospitalar e Graduação em Hotelaria.

Autora do trabalho “Análise das Contribuições do Modelo Planetree para a Prática de Hotelaria Hospitalar”, de acesso exclusivo aos Membros do Clube VIP.

Be Sociable, Share!

About Ana Augusta

Empreendedora, Empresária, Palestrante. Sócia Fundadora da Hotelaria Hospitalar Comunicação e Treinamentos. Formada em Hotelaria pelo SENAC, MBA Gestão em Saúde pela UNIFESP, pós graduada em Hotelaria Hospitalar pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein. Inglês fluente. Alemão Intermediário.

Comentários

    1. Obrigada Luciana!

      Aproveito seu comentário para incentivar que as pessoas deixem sugestões, ideias e dicas também.
      Tive um pouco para passar, mas tenho muito mais ainda a aprender. Vamos trocar experiências!

      Continue conectada!
      Abraços!

  1. Vou verificar com o Hospital em que trabalho se posso publicar a apresentação de resultados desse gerenciamento.

    1. Olá Mylaidy!

      Obrigada pela visita e pelo comentário!

      A área de Gerenciamento de Enxoval representou pra mim um grande desafio e uma excelente oportunidade de aprendizado. Ainda temos muito a aprender a aprimorar… de qualquer maneira, espero que nossa experiência ajude sim nossos colegas hoteleiros!

      Continuamos aguardando seus excelentes insights sobre Gerenciamento de Leitos! Parabéns pelo sucesso e pela liderança da Sociedade Mineira de Hotelaria Hospitalar!

      Na espera de nos reencontrarmos em breve, te mando um grande abraço diretamente do interior(rrr) de São Paulo!!!

    1. =D Com certeza, Mylaidy, estarei em Minas com o maior prazer!!!

      Que venha 2013!!!!

    1. Olá Elise.

      Obrigada pela visita e comentário.

      Em discussão com profissionais da área, concluímos que nenhum índice de evasão é aceitável. MAS o índice médio que temos visto trocando experiência entre gestores de hotelaria hospitalar, varia entre 3 e 5%, reforçando -não que seja aceitável-.

      É complicado aceitar que nosso enxoval se perca, ainda que o índice seja abaixo de 3%.

      Mantenha-se conectada, traremos novidades em breve!
      Abraços.

  2. Obrigada Ana, pelo retorno. Eu até coloquei entre aspas o aceitável, pois eu não consigo aceitar por menor que seja a evasão, mas infelizmente essa é uma realidade da nossa área. Muito atenta para saber das novidades. Manterei contato sim.
    Abraços

    1. Verdade, Elisemary, eu percebi! =D

      Vamos mantendo contato sim!

      Obrigada novamente pela visita e comentário, havendo contribuições, o espaço está aberto para publicação!

      Abraços!!!

  3. Boa tarde;

    Estava realizando algumas pesquisas sobre Gerenciamento de Enxoval Hospitalar quando achei este seu passo e passo.
    Sensacional, muito claro objetivo e possível.

    Me interessei bastante também pelo case mas não está mais disponível. Como faço para ter acesso?

    Atenciosamente
    Flávia Morais

    1. Olá Flávia!

      É para estar disponível sim, vou verificar o que está acontecendo.
      Obrigada por avisar!

      Envio um email assim que tiver corrigido o problema.

      Abraços!!!

  4. Ana, Boa Tarde!
    Gostaria de saber como esta o percentual aceitavel de retorno da lavanderia Enxoval utilizado X enxoval Limpo ainda sao 10%?
    Abraços,
    Fabi.

  5. Boa Tarde.
    Desculpe não tenho muito conhecimento em indicadores e estou aguadando uma oportunidade no setor para o cargo de Líder de Hotelaria.
    Por favor como posso montar uma planilha de Kg paciente x dia? Poderia me ajudar fico agradecido.

  6. Realizei uma compra como mostra abaixo e ate agora não chegou! O tema é sobre gerenciamento de enxoval hospitalar

    Olá Selma Maria Sanchez Malo Biscaro,
    No dia 03/02/2015, você realizou um pagamento através do PagSeguro para Hotelaria Hospitalar no valor de R$ 60,00. Caso tenha ocorrido algum problema com a sua compra, converse com o vendedor para verificar o motivo.

    Gostaria de saber em que situação esta essa compra

    1. Olá Selma!

      Enviamos seu acesso no dia 4 de Fevereiro, bem como certificado e a apresentação de slides, assim que o Pagseguro nos confirmou sua compra.

      Acabamos de reenviar, por gentileza, verifique se o email chegou com sucesso. Caso contrário entre em contato pelo email eventos@hotelariahospitalar.com com um email alternativo e estaremos reenviando.

      Obrigada por ter solicitado acesso à gravação da nossa palestra.

      Permanecemos à disposição.

      Grande abraço.

  7. bom dia

    me adiciona no grupo, também trabalho na área hospitalar.

  8. Gostaria de verificar se o curso de gerenciamento do enxoval se toda a equipe de lavanderia pode assistir, tenho esta duvida poruqe a inscrição está no meu nome há algum problema?

  9. Bom dia!

    Atuo no Hospital das Clínicas há 04 anos como diretora administrativa, e há 01 mês assumi o desafio de participar do projeto de implantação de locação de enxoval hospitalar, até o momento utilizamos próprio.
    O gigantismo de Complexo Hospitalar exige um certo cuidado nos gerenciamento do enxoval.
    Solicito informação referente os controles mais efetivos e quais os indicadores ideais a serem utilizados.

    Fico no aguardo de sua orientações e informações.

    Atenciosamente,

    Walkiria Carvalho de Brito

  10. Bom dia!

    Atuo no Hospital das Clínicas há 04 anos como diretora administrativa, e há 01 mês assumi o desafio de participar do projeto de implantação de locação de enxoval hospitalar, até o momento utilizamos próprio.
    O gigantismo de Complexo Hospitalar exige um certo cuidado nos gerenciamento do enxoval.
    Solicito informação referente os controles mais efetivos e quais os indicadores ideais a serem utilizados.

    Fico no aguardo de suas orientações e informações.

    Atenciosamente,

    Walkiria Carvalho de Brito

    1. Olá Walkíria!

      Fico muito feliz com sua visita ao nosso site e comentário.
      Percebi que você está inscrita para nosso 1º evento sobre Hotelaria Hospitalar, Humanização e Qualidade.

      Na palestra do Marcelo Boeger, ele estará abordando os indicadores da área de hotelaria.

      Além da palestra, teremos oportunidade de conversar pessoalmente e trocar mais experiências. Aqui no site mesmo disponibilizo o case desse texto “Gerenciamento de Enxoval Passo a Passo”.

      Mas conversaremos melhor pessoalmente. Será um prazer recebê-la!
      Abraços,
      Ana

  11. Ana Augusta estou com muita dificuldade preciso montar um pop de rouparia e kits hospitalar mais não estou conseguindo me ajuda .

  12. Ana Augusta estou com muita dificuldade preciso montar um pop de rouparia e kits hospitalar mais não estou conseguindo me ajuda desde já agradeço .

  13. Ana, boa noite.
    Nossa que materia incrivel, adorei.
    Parabéns me ajudou muito.

  14. Olá Ana Augusta, tudo bem?

    Tive o prazer de conhece-la no evento hospital quality management em 2014 e guardei o seu contato.

    Sou gerente da qualidade de um hospital público no ABC-SP e em reestruturação de algumas rotinas da hotelaria , surgiu a dúvida referente a utilização de kits de enxoval. gostaria de saber se o uso de kits de enxoval trás benefício para o hospital como , diminuição do índice de evasão, diminuição do uso exagerado dos profissionais da saúde?

    Aguardo um retorno.

    Atenciosamente
    Elenilce

    1. Olá Elenice, como vai?!

      Agradeço o contato e comentário, estou bem, obrigada!

      Na minha opinião, o uso de kit agiliza o processo de distribuição do enxoval nas áreas (ou rouparias satélites), facilita o transporte dessas peças para o apartamento e leitos e também inibe a questão de contaminação por serem peças acondicionadas em embalagens.

      MAS não vejo impacto na redução dos índices de evasão ou uso indiscriminado: pelo contrário.

      Quando um profissional da enfermagem ou hotelaria precisa de uma única peça e todo enxoval está disposto em kits, ele vai acabar inutilizando (ou expondo à contaminação) todas as demais peças da embalagem para utilizar uma. Para evasão também: é comum (pelo menos já presenciei esse fato) encontrarmos kits completos guardados onde não deveriam.

      Isso é só minha opinião.

      Vou colocar sua pergunta em nosso grupo de debates do Facebook e ver o que os outros gestores comentam!

      O link para o grupo é esse: https://www.facebook.com/groups/1483730045198168/?fref=ts

      Entre e acompanhe as discussões!

      Forte Abraço!

  15. Oi boa tarde!!! Adorei muito bom, gostaria de aprender mais sobre. Se alguma vez vai ter no Rio de Janeiro??

    1. Olá Pamella!

      Agradecemos muito pelo seu comentário e visita!
      Sim, podemos ir ao Rio de Janeiro assim que nos convidarem 😉
      Mas a grande vantagem de termos o conteúdo gravado é que ele vai até você onde estiver, e ainda pode ser revisto quando e quantas vezes desejar por um período determinado de tempo.

      Espero encontrá-la pessoalmente!

  16. Olá Bom dia!

    Podem me ajudar?
    Preciso saber qual é o índice de evasão mensal aceitável no mercado.

    Aguardo retorno.

    Muito Obrigada.

    Marta Cristina

    1. Olá Marta, boa tarde! =D

      Obrigada pela visita e comentário.

      Sua pergunta é realmente interessante. Em nossas trocas de experiências com outros hospitais, constatamos que existe uma média de evasão de 5%, mas não consideramos essa taxa como aceitável. É possível reduzir esses índices para menos de 2% com um controle efetivo dos processos de distribuição, abastecimento, entrada e saída de enxoval. Ainda assim, nenhum índice de perda ou extravio de peças poderia ser considerado como aceitável.

      Esperamos ter ajudado!

      Mantenha-se conectada, um grande abraço!

  17. Bom dia Ana, preciso de ajuda em relação tecido 100% alg. ou 50% poliester 50% algodão, quais são os benefícios para cada item, os pois e contra?

    1. Olá Marcos!

      Temos uma palestra online aberta que aborda bem esse conteúdo, mas posso te adiantar que depende do objetivo.

      Se o seu objetivo é maior conforto, então 100% algodão é mais indicado. Se o seu objetivo principal é durabilidade sem deixar o conforto de lado, o ideal seria 50% algodão 50% poliéster.

      Mas assiste a aula, é transmitida todas as segundas feiras em 2 horários: confira aqui maiores detalhes:
      http://www.hotelariahospitalar.com/segunda-feira-e-dia-de-gerenciamento-de-enxoval